ASTROLOGIA E A TEORIA DOS SETÊNIOS – Os Ciclos da Vida a Cada 7 Anos

Os ciclos da Vida a cada 7 anos

 Para o filósofo austríaco Rudolf Steiner, idealizador da Antroposofia, a vida é dividida em três fases de amadurecimento: biológico (até 21 anos), psicológico (21 a 42 anos) e espiritual (acima de 42 anos) e cada uma contém três setênios, totalizando nove. 

A teoria dos setênios para a Astrologia – conforme a abordagem da antroposofia, passamos por marcos importantes em nosso desenvolvimento a cada 7 anos, e podemos dizer que na Astrologia equivale a períodos aproximados entre os principais aspectos formados pelo planeta da responsabilidade, das metas de vida e do real propósito existencial, Saturno. E também pelo planeta responsável pelas grandes transformações e quebra de padrões coletivos e individuais – Urano. Porém enquanto Saturno atua nos ciclos de 7 anos durante a nossa existência , Urano atua quando ele muda de signo, a cada 7 anos e meio aproximadamente, completando um ciclo zodiacal a cada 84 anos.

A ideia de ciclos planetários, sob o ponto de vista pessoal, se refere ao trânsito dos planetas no céu em relação ao nosso Mapa Natal.

Nosso Mapa é como uma radiografia tirada no instante do nascimento. Ele é fixo, e nele estão contidas às promessas de nossa existência, do 1 ao último suspiro por aqui…

O que aciona os gatilhos para que essas promessas se cumpram são os trânsitos planetários dos demais planetas do nosso sistema solar, cada qual com seu timing ( tempo que levam para dar uma volta ao redor do sol ). O Astrólogo faz uma sobreposição do mapa dos trânsitos do momento com o mapa natal da pessoa a ser analisada.

De tempos em tempos, de acordo com o tempo que os planetas levam para completar seu ciclo em torno do Sol, cada um deles forma ângulos em relação a posição em que estavam no dia em que nascemos sinalizando importantes marcos em nossa vida pessoal e profissional.

Os quatro principais marcos considerados nesse ciclo são:

• a conjunção ou o ângulo zero, que marca o início do ciclo;

• a primeira quadratura ou o primeiro ângulo de 90 graus, que marca um período de ajustes do que foi iniciado para que possamos expandir;

• a oposição ou ângulo de 180 graus, marca o momento em que o que iniciamos na conjunção fica totalmente exposto, é o momento de ápice do ciclo;

• e a segunda quadratura ou o segundo ângulo de 90 graus, que marca um período de revisão e de eliminação do que não queremos levar para o próximo ciclo.

A seguir uma correlação entre a teoria dos setênios e alguns importantes aspectos astrológicos:

Dos 21 aos 28 anos: Aos 21 anos vivenciamos a chamada Crise de Identidade.

Momento em que o indivíduo não tem mais como o foco de seu desenvolvimento somente aprender, mas também lutar pelo seu lugar no mundo e sente uma cobrança por definir como quer conquistar esse espaço. Ainda próximo aos 21 anos, vivenciamos a segunda quadratura de Saturno e primeira quadratura de Urano. Momento em que sentimos de fato essa necessidade de urgência em definirmos o que fazer e em avaliar o que será levado ao próximo ciclo.

Dos 28 aos 35 anos: Aos 28 anos vivenciamos a Crise dos Talentos.

Sentimos a necessidade de agir com disciplina e responsabilidade, pois já não se é mais tão jovem e surge o questionamento de o que eu realmente sei fazer? O que me diferencia dos demais? Começamos a ter a sensação de termos que empenhar maior esforço para obter resultados. Entre os 28 e 30 anos acontece o que chamamos de o primeiro retorno de Saturno, a primeira conjunção de Saturno no céu em relação ao nosso Mapa Natal.

Saturno é um planeta fala sobre assumir responsabilidades, sobre estrutura, por isso nesse momento, sentimos um “chamado” para assumir a responsabilidade de por si mesmo, com suas facilidades e desafios, e as estruturar no mundo. Costuma ser um momento que marca novos inícios como casamento, separação, mudança de emprego, ou nascimento de filhos.

Dos 35 aos 42 anos: Vivenciamos pela primeira vez o dilema entre ter ou ser.

Entre 36 e 37 anos, ocorre a 1ª quadratura de Saturno no segundo ciclo, o que marca uma fase de reavaliações do que foi plantado dos 28 anos até o momento. Estou levando “meu Ser” para o mundo ou ainda estou focado em apenas conquistas do Ter? É o momento de crescer o SER de forma estruturada.

Ainda entre os 40 e 42 anos, vivenciamos a oposição de Urano e a primeira quadratura de Netuno, momento em que vêm à tona questões sobre individualidade e liberdade, temos a necessidade liberta o pensar, de entrar em uma fase mais imaginativa em que podemos entrar em contato com quem somos e nos expressar de forma mais livre e autentica.

Dos 42 aos 49 anos: Aos 42 anos vivenciamos a chamada Crise de Autenticidade.

Essa liberdade do pensar associada ao ditado popular “A vida começa aos 40”, em que os julgamentos externos perdem força e influência sobre as nossas decisões.

Entre 43 e 44 anos ocorre a segunda oposição de Saturno, nesse período o que iniciamos entre os 28 e 30 anos chega ao ápice do ciclo e, se fizermos os ajustes do Ser no período anterior, temos como mostrar nossa identidade, a nossa obra ao mundo, contemplando mais do que o que conquistamos, agregando o que contribuímos com o que somos.

Dos 49 aos 56 anos: Temos o desabrochar da fase inspiradora.

Passamos a ouvir e sentir em um nível mais elevado, desenvolvendo a capacidade de ouvir o que está por trás das palavras das pessoas, que transmitem seus anseios e desejos sem terem consciência disso e temos a tendência a aplicar isso com as pessoas a nossa volta no dia a dia profissional.

Entre 50 e 51 anos passamos pela 3ª quadratura de Saturno do segundo ciclo, marcada por um período de colheita de tudo o que plantamos desde os 28 anos. Começa o momento de olhar para a próxima fase, com uma perspectiva de expansão mais inspirativa, espiritual e emocional que material.

Já entre os 54 e 56 anos ocorrem aspectos favoráveis de Urano e Netuno, que contribuem para elevar a compreensão sobre um sentido real de liberdade e autonomia. Entramos em um momento em que já não nos privamos de certas coisas e atitudes e passamos a agregar uma visão mais espiritual e humana à vida e às atividades.

Dos 56 aos 63 anos: Entramos em um período em que a teoria dos setênios sinaliza como uma nova missão.

Nesta fase da vida colhemos o que foi plantado nas fases anteriores em termos de um verdadeiro desenvolvimento existencial.

Ainda entre os 58 e 60 anos vivenciamos o segundo retorno de Saturno, momento em que temos uma nova chance de assumirmos a responsabilidade de quem somos, agora muito mais maduros e com possibilidade de aprofundar ainda mais a experiência o Eu e de experimentar uma nova liberdade existencial.

Portanto, é comum nessa idade iniciar novas carreiras, novos negócios, muitas vezes relacionados a sonhos que já existiam lá pelos 28 anos, mas que por diversos motivos, não puderem ser realizados. Se esse é o seu caso, siga em frente!

Hoje em dia, a nossa expectativa de vida está caminhando para vivenciarmos um terceiro retorno de Saturno, que ocorre entre os 88 e 90 anos, e a cada ciclo temos a oportunidade de estarmos ainda mais conscientes do nosso Ser e aprimorar como o expressamos no mundo.

fontes de pesquisa e inspiração – A teoria dos setênios de Rudolf Steiner / Vanessa da Rocha

Curtir

Comentar

One response to “ASTROLOGIA E A TEORIA DOS SETÊNIOS – Os Ciclos da Vida a Cada 7 Anos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s